A definição dos artistas que participam do BOLSA PAMPULHA 2018/2019 coube à Comissão de Seleção, composta por Samantha Moreira, representante do JA.CA, Beatriz Lemos, Julia Rebouças e Rosângela Rennó, profissionais convidadas e reconhecidas na área das artes visuais, e Augusto Fonseca, representante da Fundação Municipal de Cultura, designados pela Presidente do JA.CA, Francisca Caporali, em conjunto com a FMC.


Beatriz Lemos
Rio de Janeiro, 1981.

Beatriz atua como curadora e pesquisadora especializada em articulações em redes. É idealizadora da plataforma de pesquisa Lastro – intercâmbios livres em arte. Em 2017/2018 integrou o júri curatorial do 20º Festival de Arte Contemporânea – Sesc/Videobrasil, além da realização da residência autônoma Travessias Ocultas – Lastro Bolívia que teve sua versão em exposição no Sesc Bom Retiro (SP). Tem realizado cursos e oficinas sobre processos anticoloniais no Brasil e América Latina e, atualmente, coordena o Grupo de estudos Lastro na Casa 1 (SP).

Júlia Maia Rebouças
Aracaju, 1984
— 

Júlia é curadora, pesquisadora e crítica de arte. Foi co-curadora da 32a Bienal de São Paulo, Incerteza Viva (2016). De 2007 a 2015, trabalhou na curadoria do Instituto Inhotim, Minas Gerais. Colaborou com a Associação Cultural Videobrasil, nos 18º e 19º Festivais Internacionais de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil, em São Paulo. Em 2013, foi curadora adjunta da 9ª Bienal do Mercosul, em Porto Alegre. Realiza diversos projetos independentes, com mostras no  individual de Cildo Meireles no Sesc Pompeia, São Paulo, a acontecer em 2019; a exposição Entrementes, da artista Valeska Soares, na Estação Pinacoteca, São Paulo (2018).

Rosângela Rennó
Belo Horizonte, 1962
— 

Rosângela vive e trabalha no Rio de Janeiro. Formou-se em Artes Plásticas pela Escola Guignard e em Arquitetura pela Universidade Federal de Minas Gerais. É doutora em Artes pela Escola de Comunicações e Artes da USP. Sua obra é marcada por apropriação de imagens descartadas, encontradas em mercados de pulgas e feiras, e pela investigação das relações entre memória e esquecimento. Em suas fotografias, objetos, vídeos ou instalações, trabalha com álbuns de família e imagens obtidas em arquivos públicos ou privados. Dedica-se também à criação de livros autorais.

Samantha Moreira
Campinas, 1972
Representante do JA.CA

Samantha é artista, curadora e gestora cultural. É fundadora do Ateliê Aberto – Campinas (SP) desde 1997, do CHÃO SLZ – São Luís (MA) desde 2015, e integrante do JA.CA (MG), desde 2016. Foi idealizadora, curadora e organizadora de projetos premiados em editais públicos e de exposições da Funarte, ProAc, Centro Cultural Banco do Brasil, em Museus de Arte Contemporânea. Participou de exposições como 32°Panorama da Arte Brasileira no MAM São Paulo, Rumos Artes Visuais Itaú Cultural, Temporada de Projetos Paço das Artes. Atua juntamente com espaços independentes parceiros no Brasil e no exterior. Atualmente é coordenadora geral e artística do Programa CCBB Educativo – Arte e Educação, no Centro Cultural Banco do Brasil do RJ, BH, SP e DF.

Augusto Fonseca
Belo Horizonte,1978.
Representante da FMC

Augusto é artista plástico, formado pela Escola de Belas Artes da UFMG. Desde 2012 integra o setor de Artes Visuais do Museu de Arte da Pampulha/FMC. Participou da Comissão de Seleção e Organização da 5ª e 6ª edição do Programa Bolsa Pampulha (2013/2016), da Comissão de Seleção e organização do projeto Telas Urbanas (2015/2016), e da Comissão de Seleção do projeto Arte Urbana Gentileza (2018). É também membro da Câmara de Fomento à Cultura Municipal(CFCM). Como curador, idealizou e organizou exposições no MAP, SESC Palladium, BDMG Cultural, Espaço Cultural Vallourec, Galeria Lemos de Sá, e 44º Salão de Arte Luiz Sacilotto.