Comissões


Comissão de seleção

Samantha Moreira
Campinas, 1972

Representante do JA.CA – Centro de Arte e Tecnologia.
Artista, curadora e gestora cultural. Fundadora do Ateliê Aberto – Campinas (SP) desde 1997, do CHÃO SLZ – São Luís (MA) desde 2015, e integrante do JA.CA (MG), desde 2016. Foi idealizadora, curadora e organizadora de projetos premiados em editais públicos e de exposições da Funarte, ProAc, Centro Cultural Banco do Brasil, em Museus de Arte Contemporânea, unidades do SESC, entre outras instituições. Integra a comissão de seleção do 4a Laboratório de Artes Visuais do Porto de Iracema das Artes-Fortaleza, seleção e premiação do ProAc para Espaços Independentes -2016, Prêmio Foco – ArtRio 2016, da 5a edição do Prêmio CNI- SESI Marcantônio Vilaça para as Artes Plásticas em 2015, e em diversos editais e salões nacionais. Participou de exposições como 32°Panorama da Arte Brasileira no MAM São Paulo, Rumos Artes Visuais Itaú Cultural em 2007, Temporada de Projetos Paço das Artes, 1998. Atua juntamente com espaços independentes parceiros no Brasil e no exterior. De 2005 a 2011 é responsável pela gestão de projetos voltados a Mobilidade Urbana a partir de conceitos de arte, cultura e cidadania na Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas. Atualmente é coordenadora geral e artística do Programa CCBB Educativo – Arte e Educação, no Centro Cultural Banco do Brasil do RJ, BH, SP e DF.

 

Rosângela Rennó
Belo Horizonte, 1962
— 

Vive e trabalha no Rio de Janeiro. Formou-se em Artes Plásticas pela Escola Guignard e em Arquitetura pela Universidade Federal de Minas Gerais. É doutora em Artes pela Escola de Comunicações e Artes da USP. Sua obra é marcada por apropriação de imagens descartadas, encontradas em mercados de pulgas e feiras, e pela investigação das relações entre memória e esquecimento. Em suas fotografias, objetos, vídeos ou instalações, trabalha com álbuns de família e imagens obtidas em arquivos públicos ou privados. Dedica-se também à criação de livros autorais.

Júlia Maia Rebouças
Aracaju, 1984
— 

É curadora, pesquisadora e crítica de arte. Foi co-curadora da 32a Bienal de São Paulo, Incerteza Viva (2016). De 2007 a 2015, trabalhou na curadoria do Instituto Inhotim, Minas Gerais. Colaborou com a Associação Cultural Videobrasil, nos 18º e 19º Festivais Internacionais de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil, em São Paulo. Em 2013, foi curadora adjunta da 9ª Bienal do Mercosul, em Porto Alegre. Realiza diversos projetos independentes, como a mostra individual de Cildo Meireles no Sesc Pompeia, São Paulo, a acontecer em 2019; a exposição Entrementes, da artista Valeska Soares, na Estação Pinacoteca, São Paulo (20180; a mostra MitoMotim, no Galpão VB, São Paulo (2018). Doutora pelo Programa de Pós Graduação de Artes Visuais, UFMG.

 

Beatriz Lemos
Rio de Janeiro, 1981.

A
tua como curadora e pesquisadora especializada em articulações em redes. É idealizadora da plataforma de pesquisa Lastro – intercâmbios livres em arte. Em 2017/2018 integrou o júri curatorial do 20º Festival de Arte Contemporânea – Sesc/Videobrasil, além da realização da residência autônoma Travessias Ocultas – Lastro Bolívia que teve sua versão em exposição no Sesc Bom Retiro (SP). Tem realizado cursos e oficinas sobre processos anticoloniais no Brasil e América Latina e, atualmente, coordena o Grupo de estudos Lastro na Casa 1 (SP).

Augusto Fonseca
Belo Horizonte,1978.

Representante da Fundação Municipal de Cultura.
É artista plástico formado pela Escola de Belas Artes da UFMG. Em 2012 passa a integrar o setor de Artes Visuais do Museu de Arte da Pampulha/FMC. Participou da Comissão de Seleção e Organização da 5ª e 6ª edição do Programa Bolsa Pampulha (2013/2016), da Comissão de Seleção e organização do projeto Telas Urbanas (2015/2016), e da Comissão de Seleção do projeto Arte Urbana Gentileza(2018). É também membro da Câmara de Fomento à Cultura Municipal(CFCM).  Como curador, idealizou e organizou a exposição Sobre o que se Desenha, no Museu de Arte daPampulha (2015), foi curador assistente na exposição Arte e Política no Acervo do MAP, realizada no SESC Palladium (2016), e realizou a curadoria da exposição Pintura em Diálogo, no BDMG Cultural(2017). Como artista plástico realizou diversas exposições, dentre elas: Estratégias do Mercado, BDMG Cultural(2019), Pintura Mineira – Recorte, Espaço Cultural Vallourec(2018),  Novos, Novíssimos, Seminovos – Galeria Lemos de Sá(2018) e 44º Salão de Arte Luiz Sacilotto (2016). 


Comissão organizadora

Sara Moreno Rocha — representante da Fundação Municipal de Cultura
Augusto Otávio Fonseca de Oliveira — representante da Fundação Municipal de Cultura
Júlia Mesquita Duarte — representante do JA.CA – Centro de Arte e Tecnologia