Programação

O Bolsa Pampulha oferece uma programação aberta ao público, com ações mensais. Oficinas serão conduzidas por artistas visitantes, e falas abertas, pelas curadoras que integram a comissão de acompanhamento. As ações acontecerão no Museu de Arte da Pampulha.

14 de abril
curadora convidada:
beatriz lemos

Partilha de experiências na construção de um vocabulário anticolonial, onde narrativas não hegemônicas se fazem existir no sistema da arte na América Latina.

Beatriz atua como curadora e pesquisadora especializada em articulações em redes. É idealizadora da plataforma de pesquisa Lastro – intercâmbios livres em arte. Em 2017/2018 integrou o júri curatorial do 20º Festival de Arte Contemporânea – Sesc/Videobrasil. Tem realizado cursos e oficinas sobre processos anticoloniais no Brasil e América Latina e, atualmente, coordena o Grupo de estudos Lastro na Casa 1 (SP).

14 de abril, 15h às 17h
fala aberta para o público
local: museu de arte da pampulha
entrada gratuita

→ VEJA O REGISTRO


11 e 12 de maio

artista visitante:
virgínia de medeiros

a arte como resposta à crise
social que vivemos.

Virgínia de Medeiros é a artista visitante do Bolsa Pampulha para o mês de maio, e oferece no fim de semana dos dias 11 e 12, oficina e palestra no Museu de Arte da Pampulha.

O trabalho da artista converge de estratégias documentais, para ir além do testemunho, questionando os limites entre realidade e ficção. A artista lida com o deslocamento, a participação e a fabulação. Adaptando imagens documentais para usos subjetivos, pessoais e conceituais, propiciando a revisão dos modos de leitura e representação da realidade e da alteridade.  De Medeiros atua na área de arte e tecnologia com ênfase em vídeo-instalação e audiovisual.

11 de maio, 12h às 18h
oficina aberta para o público
‘alteridade na construção da imagem’
local: museu de arte da pampulha

entrada gratuita

12 de maio, 15h às 17h
palestra aberta para o público

→ VEJA O REGISTRO

 

9 de junho
curadora convidada:
júlia rebouças

sertão: projetos de experimentação,
projetos de resistência.

Como parte do desenvolvimento do 36o Panorama da Arte Brasileira _ Sertão, a curadora e pesquisadora Júlia Rebouças vai discutir experimentação e resistência como valores de uma certa produção de arte contemporânea brasileira. Neste encontro, abordará curadorias de exposições e projetos históricos que criam território para a elaboração de uma proposição artística de atuação no presente.

Julia é curadora, pesquisadora e crítica de arte. Foi co-curadora da 32a Bienal de São Paulo, Incerteza Viva (2016). De 2007 a 2015, trabalhou na curadoria do Instituto Inhotim. Colaborou com a Associação Cultural Videobrasil, nos 18º e 19º Festivais Internacionais de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil. Em 2013, foi curadora adjunta da 9ª Bienal do Mercosul, em Porto Alegre. 

9 de junho, 14h às 16h 
fala aberta para o público
local: museu de arte da pampulha
entrada gratuita


7 de julho

artista visitante:
rosângela rennó

Rosângela vive e trabalha no Rio de Janeiro. Formou-se em Artes Plásticas pela Escola Guignard e em Arquitetura pela Universidade Federal de Minas Gerais. É doutora em Artes pela Escola de Comunicações e Artes da USP.

Sua obra é marcada por apropriação de imagens descartadas, encontradas em mercados de pulgas e feiras, e pela investigação das relações entre memória e esquecimento. Em suas fotografias, objetos, vídeos ou instalações, trabalha com álbuns de família e imagens obtidas em arquivos públicos ou privados. Dedica-se também à criação de livros autorais.

7 de julho
fala aberta para o público

local: museu de arte da pampulha
entrada gratuita


28 de julho
curadora convidada:
mônica hoff

Mônica é artista, curadora, pesquisadora, e co-fundadora do Espaço Embarcação, em Florianópolis. É Mestre em História, Teoria e Crítica de Arte pela UFRGS, e atualmente cursa doutorado em Processos Artísticos Contemporâneos no PPGAV/UDESC. Entre 2006 e 2014, coordenou o programa educativo e as atividades públicas da Bienal do Mercosul, atuando como curadora adjunta na nona edição do evento, em 2013. Desde 2014, realiza, com a curadora Fernanda Albuquerque, o Laboratório de Curadoria, Arte e Educação. Em 2018, em parceria a curadora Kamilla Nunes, organizou outros dois projetos: Escola Extraordinária e La Grupa.

28 de julho, 15h às 17h 
fala aberta para o público
local: museu de arte da pampulha
entrada gratuita


setembro/outubro
exposição e
lançamento do catálogo